Notebooks na mira do crime

Clique para AmpliarLaptops e outros objetos, como celulares e pen drives, foram apreendidos com dois homens, em maio deste ano
FOTO: FRANCISCO VIANA
Um dispositivo em forma de caneta pode estar sendo usado por bandidos para encontrar laptops em veículos

Da janela de casa, a jovem Aline (nome fictício) assiste a mais um arrombamento de veículo. Ela mora em frente a uma clínica médica do bairro Dionísio Torres, onde dezenas de pessoas, todos os dias, deixam seus veículos estacionados por longos períodos. “Já aconteceram vários roubos. Os bandidos tiram o vidro de uma das janelas do automóvel e roubam notebooks. Sempre notebooks”, conta a garota.Ela, o porteiro do condomínio e outras pessoas que residem no prédio já testemunharam a ação rápida dos bandidos. “Devem ser especializados neste tipo de crime, agem muito rápido. Quando a gente chama o Ronda, já estão fugindo”.

A história que a jovem conta bate com informações já confirmadas pela Polícia Civil do Estado do Ceará. Quadrilhas de arrombadores de veículos podem estar usando um equipamento novo e bastante sofisticado para detectar a existência de aparelhos eletrônicos dentro de automóveis. Trata-se do detector de redes Wi-Fi.Clique para Ampliar

Os dispositivos, encontrados em forma de canetas ou de um equipamento que lembra um telefone celular, localizam redes sem fio para encontrar os laptops deixados dentro de automóveis. Mesmo que a máquina esteja desligada, se o Wi-Fi estiver ativo o aparelho pode ser localizado pelo dispositivo, alertam especialistas no assunto.

O dispositivo em formato de caneta, por exemplo, possui um sensor que detecta a existência de redes wireless abertas. Quando uma rede sem fio é localizada, um led verde emite o alerta. Com uma rápida pesquisa em sites de busca na Internet, as opções de compra do produto aparecem à vontade. E por preços bem acessíveis.

Fortaleza

Os bandidos têm se aproveitado do desconhecimento da população sobre o assunto para praticar os crimes em série.

Em Fortaleza, a Polícia não confirma, ainda, a existência do dispositivo em poder de quadrilhas especializadas. Apesar disso, o caso que envolve o roubo de notebooks já tomou grandes proporções no Estado. No último dia 3 de junho foi desencadeada uma grande operação que mobilizou 40 policiais civis e militares para o cumprimento de dez mandados de prisão e busca e apreensão. Durante o trabalho, apenas um homem foi preso e diversos objetos furtados de veículos na área nobre da Capital foram apreendidos.

A investigação que resultou na posterior ação da Polícia visava desarticular uma quadrilha especializada no arrombamento de caminhonetes e carros de luxo, principalmente nos bairros da Aldeota e Meireles. O alvo do grupo criminoso eram notebooks que estavam dentro dos automóveis.

Classe média

A quadrilha, que já está sendo investigada há mais de seis meses – desde que começaram a ser registrados casos constantes de furtos de notebooks em veículos – conta com a participação de alguns jovens de classe média de Fortaleza.

Um dos mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça no início de junho foi cumprido numa mansão no bairro Dunas, na Zona Leste de Fortaleza, mas não havia ninguém na casa na hora do cerco.

Em 19 de maio deste ano, dois integrantes da quadrilha foram presos depois de serem perseguidos por uma patrulha do Ronda do Quarteirão do bairro Alagadiço Novo até a Aldeota. Os acusados, identificados como Anderson de Oliveira Silva, 20; e Edson Costa dos Reis Filho, 25, atuavam principalmente furtando laptops encontrados dentro dos carros estacionados em ruas próximas a colégios, faculdades e shoppings center nos bairros da Aldeota, Dionísio Torres, Papicu, Joaquim Távora e Meireles.

Com a dupla, a Polícia apreendeu diversos equipamentos eletrônicos e dinheiro trocado. Todo o material e os acusados, que já respondiam por furto, foram levados para o 2º DP (Aldeota), onde foi feito o flagrante.

O delegado Francisco Porto, titular do 2º DP, explica que o inquérito policial já foi encaminhado à Justiça e que já se transformou em processo. “Trata-se de uma quadrilha grande, que tem entre 15 e 20 integrantes. Do total, oito encontram-se em liberdade. Na época em que o inquérito foi concluído, representamos pelas prisões preventivas de todos eles. Sabemos que, em sua maioria, são jovens de classe média”.

FACILIDADE
Detectores vendidos na Internet

Dispositivos são comercializados em sites da Internet, por preços que variam de 20 a 45 reais, com frete grátis

“Esta caneta possui um sensor que detecta a existência de redes wireless abertas. Quando uma rede sem fio é detectada um led verde emite o alerta. Em qualquer lugar você pode testar a existência de rede sem precisar abrir o notebook. Também permite saber se existe alguma câmera de vídeo wireless espionando uma sala”. Com uma rápida pesquisa na Internet, pode-se observar a facilidade de se adquirir um equipamento como este, que os bandidos têm utilizado para rastrear os laptops.

Dentre os anúncios, existe a oferta do mesmo equipamento em formato de caneta, chaveiro, celular, relógio e até em bonés e camisas estilizadas.

Na mesma pesquisa, surge um link que ensina a construir um aparelho destes, de forma bem simples. Outro site oferece o produto em forma de chaveiro por menos de 30 reais.

Frete grátis

Num site de compra coletiva, o produto pode ser encontrado por um preço bem menor. Há ofertas que variam de 22,90 com frete de apenas seis reais até 45 reais, com frete grátis. Em menos de 10 minutos, encontramos dezenas de ofertas.

Apesar de a Polícia não confirmar, ainda, a utilização deste equipamento para furto de notebooks no Estado, há evidências que apontam para isso. Um policial civil afirmou ter conversado com testemunhas que sabem da existência do dispositivo em posse de bandidos no Ceará.

“Não temos comprovação técnica de que as quadrilhas estejam agindo com a ajuda desse dispositivo, no Estado. Pelo menos, até o momento”, afirma o delegado Francisco Porto.

Segundo o delegado, o que já ficou comprovado por meio de depoimento de testemunhas foi a participação indireta de seguranças e vigias na ação dos bandidos, fornecendo informações sobre quem tem ou não computadores portáteis nos veículos. “Especialmente nos bairros da Aldeota, Meireles e Praia de Iracema, onde havia maior incidência destes crimes”, relata o delegado.

Jairo Pequeno, diretor do Departamento de Polícia Especializada (DPE), que acompanhou de perto as investigações do 2º DP, afirma que a Polícia de toda a Capital ainda está alerta para a ação da quadrilha. “O trabalho continua acontecendo. Inicialmente, o foco maior foi na área da cidade coberta pelo 2º DP, onde tinham sido registrados mais casos. Agora, a orientação foi estendida a todas as outras distritais, cada uma fica atenta para sua área”, esclarece.

De acordo com o analista de suporte e especialista em redes, Jensen Clayton, já existe a preocupação dos usuários de computadores portáteis com outro tipo de rastreador, que detecta a presença de Lítio em baterias de celulares, palmtops, notebooks e outros aparelhos eletrônicos similares. “Já houve registro de casos assim, discutidos em fóruns da Internet relacionados ao assunto”, explica

CUIDADOS
Especialista dá dicas de segurança aos usuários

“A popularização das redes WiFi nos trouxe também sua vulnerabilidade aliada à falta de políticas de segurança da informação claramente definidas”, avalia Rita Castro, perita em computação forense e especialista em Criptografia e Segurança de Computadores.

Segundo ela, “as vulnerabilidades das redes wireless podem ser minimizadas desde que os usuários configurem seus dispositivos de maneira adequada, se possível com o auxílio de um especialista. Um notebook possui uma série de dispositivos que utilizam a tecnologia wireless, cada dispositivo desse, quando mal configurado, caracteriza-se como uma porta aberta para que invasores furtem informações, possibilitando ainda o roubo do equipamento”.

Como dica de segurança, Rita Castro aconselha que se desligue as conexões ad-hoc dos dispositivos wireless do seu computador, quando você não estiver usando-as. “O seguro morreu de velho. Então certifique-se de ter um backup de seu notebook sempre atualizado. Além disso, anote o endereço IP e o endereço MAC de sua placa de rede e do seu dispositivo Wi-Fi. Através deles pode-se rastrear a máquina em caso de roubo, desde que tenha o programa de monitoramento no equipamento”.

NATHÁLIA LOBO
SUBEDITORA DE POLÍCIA

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s