Agora…#MCITP #Database #Administrator 2008!

Boa noite, caros leitores!

Novamente fazia muito tempo que não escrevia em meu blog. Existem muitos assuntos que quero abordar sobre SQL Server em meu blog, mas infelizmente o tempo tem sido muito curto devido aos estudos para as provas!

E o Senhor Jesus me deu mais esta vitória! Consegui no dia 01/07/2011 a certificação MCITP – Microsoft Certified IT Professional Database Administrator 2008. Consegui fazer 815 pontos em 1h10m de prova.

Consegui um livro da própria Microsoft para estudar para essa prova: MICROSOFT SQL SERVER DATABASE DESIGN AND OPTIMIZATION (ISBN: 9780470183748). Não está á venda no Brasil, mas em contato com uma livraria consegui importá-lo. Foi muito importante para meu desempenho na prova. O  livro é bem objetivo, claro e aborda todos os assuntos da Prova que você pouco encontra em outros materiais de SQL Server da própria Microsoft (como NUMA, RAID, etc.)

Essa é uma prova bem mais difícil que o MCTS (óbvio, rsrs). Aborda mais assuntos do dia-a-dia de um DBA e suas necessidades. Muitas vezes, sendo necessário escolher a “resposta mais correta”.

É isso pessoal, queria compartilhar com vocês essa vitória e também agradecer primeiramente a Deus que me dá condições todos os dias para seguir em frente, à minha esposa que me motiva, me ajuda, tem paciência comigo…e a todos meus amigos que oraram e intercederam por mim! Principalmente aos Jovens do Ministério Geração Santa da Comunidade Cristã Zona Sul que estiveram orando e torcendo ao meu lado!

Dedico essa vitória a Deus e à minha amada esposa, Karol! Que inclusive meu deu mais uma certificação MDK – Marido da Karol! Rsrs

Até mais pessoal! Até o próximo post!

#Problemas para #pesquisar textos que possam conter #acentos errados? #Collations do #SQLServer resolverão seu problema

Fazia um bom tempo que não postava, porque estou me preparando para a prova 70-450 ( MCITP SQL Server 2008 – Implementation & Maintenance).

Mas hoje me sobrou algum tempo e decidi postar algo muito útil; porém, ainda pouco utilizado (pelo menos pelos locais onde tenho passado): Collations.

COLLATION

Definindo de uma forma bem básica, é um conjunto de regras sobre um determinado conjunto de caracteres baseado principalmente em idiomas. Para você entender melhor pense na língua portuguesa e suas regras e agora imagine regras na escrita alemã ,ou na japonesa, ou ainda na árabe. São totalmente diferentes e precisam ser tratadas diferentes no armazenamento e na busca. Para que isso seja possível existem os Collations.

Mas não posso ser tão simplista e deixar de comentar que as Collations também podem controlar detalhes da forma de pesquisar, como: sensibilidade à maiúsculas ou não, sensibilidade à acentos ou não, etc).

Para entender melhor como escolher um collation para a coluna do seu banco de dados, vamos analisar como é a nomeclatura dos Collations. Por exemplo, um dos Collations mais utilizados no Brasil: SQL_Latin1_General_CP1_CI_AI.

Para maior didática, vou dividir o nome da Collation da seguinte forma:

SQL_Latin1_General_ -> É o nome

CP1_ ->Significa que vai usar Unicode para codificação e ordenamento (não vou falar muito, pois não será o foco hoje)

CI_ -> Case Insensitive, ou seja, não sensível a maiúsculas e minúsculas. Se aqui tivesse CS, então seria Case Sensitive, ou seja, sensível a maiúsculas e minúsculas

AI_ ->Accent Insensitive, ou seja, não sensível à acentos. Se aqui tivesse AS, então seria Accent Sensitive, ou seja, sensível a acentos

E ainda existem outras partes da nomeclatura, mas para as língua latinas não vão importar; portanto, não vou me alongar nesse assunto.

 

Para examinar outras collations você pode executar a seguinte consulta que vai retornar o nome da Collation e a descrição:

select * from fn_helpcollations()

NA PRÁTICA

Para ficar mais fácil o entendimento sobre Collations vou usar uma solução de um problema recente na empresa em que trabalho.

Os usuários estavam cadastrando nomes de pessoas e colocavam acento no nome e outros não, gerando duplicidade e inconsistência no banco de dados. Por exemplo, um usuário cadastrava “João da Silva” e outro cadastrava “Joao da Silva”. Estamos falando da mesma pessoa; porém dois registros foram inseridos porque a Collation utilizada era a SQL_Latin1_General_CP1_CI_AS, que é sensível à acentos, sendo assim, considera os dois nomes diferentes.

A solução foi alterar a Collation do campo em questão para usar a SQL_Latin1_General_CP1_CI_AI (que não é sensível ao acento). Usei a seguinte query:

ALTER TABLE [dbo].[tb_cliente]
ALTER COLUMN [nm_cliente] varchar(50) collate SQL_Latin1_General_CP1_CI_AI not null

Pronto, agora ninguém mais conseguirá cadastrar “Joao da Silva” e depois “João da Silva”, pois isso ocasionará um erro devido a esse campo ser Unique. E ao consultar, tanto faz escrever “Joao” como “João”, o SQL Server retornará o usuário em questão.

CUIDADOS

Só lembrando dos cuidados que se deve ter ao modificar um collate:

  • verificar se o campo participa de algum índice (clustered ou nonclustered)
  • verificar se a modificação não vai gerar conflito de chave primária ou estrangeira e nestes casos, verificar qual o registro correto e qual pode ser excluído

 

Por hoje é só, caros leitores…

Hoje é sexta e é dia de curtir a esposa e uma boa comida.

Até o próximo post!

Fredy Esmeraldo

Implementation & Maintenance